terça-feira, 4 de agosto de 2009

INTERAÇÃO VENTILAÇÃO X SPRINKLERS

A maioria dos sistemas de sprinklers não foi projetado para extinguir o fogo mas apenas para controlá-lo.

Os sprinklers não previnem o acúmulo de fumaça na edificação, nem a exaustão da quantidade de calor gerada pelos incêndios.

Foi demonstrado que os sprinklers podem acelerar a razão do acúmulo de fumaça na edificação, devido ao deslocamento lento da fumaça em edificações sem ventilação.
Infelizmente, houve uma controvérsia técnica durante vários anos, relacionada com a interação de sprinklers e os exaustores de fumaça.

Os argumentos principais foram que o calor por meio de ventilação da fumaça atrasaria a operação dos sprinklers e a quantidade de oxigênio mantido na edificação faria com que o fogo aumentasse drasticamente.

Hoje, mesmo os mais céticos com relação à ventilação concordaram que a sua presença não tem impacto sobre o desempenho dos sistemas de sprinklers padrões, um fato que foi demonstrado por pesquisadores no Reino Unido e Estados Unidos .

Experimentos mostraram que a ventilação não atrasou a operação do primeiro sprinkler de forma significativa, mas reduziu o número de sprinklers funcionando desnecessariamente.

É aceito que assim que o incêndio começar, a operação do combate ao incêndio médio deve ser iniciada.

Quanto mais cedo for aberta a ventilação, maior a chance de se prevenir que a fumaça se misture com a camada de ar frio próxima ao piso.
Suas funções:

• Limita a difusão e controla o aumento do incêndio.

• Não reduz o dano causado pela fumaça.

• Reduz o aumento da temperatura dentro da edificação.

• Exaustão da fumaça.

• Previne o acúmulo de fumaça.

• Reduz a temperatura na edificação.

• Ajuda na fuga.

• Ajuda o combate ao incêndio.


Fonte : A Segurança Contra Incêndio no Brasil -V. Pignatta .

Nenhum comentário:

Postar um comentário