domingo, 23 de agosto de 2009

NBR 9050: 2004 - ACESSIBILIDADE A EDIFICAÇÕES ,MOBILIÁRIO , ESPAÇOS E EQUIPAMENTOS URBANOS .


Plataforma(Daiken) para deficiente físico-Ed. London Place/ Curitiba


Rotas de fuga que incorporam escadas de emergência devem possuir com espaço reservado e demarcado para cadeiras de rodas na proporção de um para cada 500 pessoas .
M.R = Módulo de referência - 1,20 x 0,80 ml



O espaço que cadeiras de rodas necessitam para manobrar, com ou sem deslocamento, deve ser considerado em projeto.

A NBR 9050 enquadra os Edifícios Residenciais na categoria de coletivos. Isso obriga a reserva de 1% das vagas aos deficientes físicos.

Um dos pontos de maior importância das questões relativas à acessibilidade é a utilização adequada de medidas especiais. Isto resulta a necessidade das portas terem largura mínima de 0,80 m e os comandos, como interruptores, situarem-se na faixa de altura entre 0,40 e 1,20 m. Da mesma forma, tomadas não podem ser localizadas muito próximas ao chão. Pessoas com deficiência física podem ter dificuldade para se abaixar.

A principal dificuldade encontrada em Edifícios Resideciais ou Comerciais , o banheiro representa o local com maior incidência de obstáculos à acessibilidade.
As pias não podem ser apoiadas em gabinetes, que impedem a entrada de cadeiras de rodas, deixando longe o acesso à torneira.
O espaço de circulação mínimo exige um círculo com diâmetro de 1,5 m, o que permite a rotação de 360° das cadeiras, e ao lado do vaso sanitário deve existir um espaço para acomodação da cadeira. A bacia deve estar a 0,46 m do piso, incluindo o assento.

Barras de apoio têm de ser instaladas em todos os locais que exigem força do deficiente físico .

Fonte : NBR 9050: 2004

Nenhum comentário:

Postar um comentário