terça-feira, 9 de julho de 2013

ESTRIBOS NA LIGAÇÃO VIGAS-PILAR


Falta de estribos do pilar na região de cruzamento com viga e lajes .

É necessário maior cuidado no detalhamento das armações e na execução das estruturas em concreto armado , evitando descuidos executicos como a falta de estribos no pilar ao longo do seu cruzamento com vigas e lajes.


A NBR 6118 estabelece, no seu item 18.4.3 - Armaduras transversais: “A armadura transversal de pilares, constituída por estribos e, quando for o caso, por grampos suplementares, deve ser colocada em toda a altura do pilar, sendo obrigatória sua colocação na região de cruzamento com vigas e lajes.

A falta dos estribos mencionados poderá ocasionar graves patologias à estrutura de concreto armado .

Abaixo,comentários do renomado Engenheiro Antonio Carlos Reis Laranjeiras sobre assunto :

Acrescento sobre esse assunto de estribos na ligação vigas-pilar algumas informações a esse respeito contidas na publicação do ACI 352R-91 “Recomendações para projeto de nós viga-pilar em estruturas de concreto armado monolíticas”. 

Para efeito dessa Recomendação, “nó viga-pilar” é o espaço no pilar compreendido por toda a altura da(s) viga(s), incluindo a laje.

No nó viga-pilar devem existir estribos no pilar, situados entre as armaduras longitudinais superior e inferior das vigas, no número mínimo de dois, respeitados os espaçamentos máximos de 15 cm, se o pilar faz parte da subestrutura resistente às forças horizontais, ou de 30 cm, no caso contrário. As funções primárias desses estribos são a de garantir a retilineidade das barras contra flambagem das mesmas e oferecer certo confinamento ao concreto nos nós.

Esses estribos são dispensáveis quando existem vigas que concorrem ao pilar em todas as suas quatro faces, desde que a largura das vigas seja pelo menos 3/4 da largura do pilar e não deixe mais do que 10 cm livres na largura do pilar, de cada lado da viga.
Fonte : Comunidade TQS

Nenhum comentário:

Postar um comentário