domingo, 28 de fevereiro de 2010

TECNOLOGIA POE -POWER OVER ETHERNET

Em muitas situações, pontos de acesso e outros dispositivos de rede precisam ser instalados em locais de difícil acesso. Nesses casos, além do cabo de rede, é necessário fazer a instalação elétrica, o que acaba aumentando os custos, e o Power over Ethernet, ou PoE veio para solucionar este problema, pois se trata de um padrão que permite a transmissão de energia usando o cabo de rede, juntamente com os dados.

Começou com projetos artesanais, onde se utilizava dois pares de fios não usados para transmitir dados nos cabos Cat-5 ou superior, para enviar corrente elétrica pelo cabo, assim, não precisaria ter a necessidade de uma fonte de alimentação de energia, separada.

Esta idéia deu origem ao padrão IEEE 802.3af, que já é suportado por diversos produtos, neste padrão, através de uma tomada (RJ 45) dois dos quatro pares de fios do cabo par trançado são utilizados para transmitir uma corrente de tensão de 24 ou 48 volts e até 400 mA que depois de descontadas as perdas resultam em uma capacidade de fornecimento de até 12.95 watts, por comprimento máximo de cem metros, energia suficiente para alimentar a grande maioria dos pontos de acesso, telefones VoIP e outros dispositivos menores ou até mesmo um notebook de baixo consumo.


Há um sistema especial de modulação que permite que os dois pares utilizados para transmitir energia sejam usados também para transmitir dados, permitindo o uso em conjunto com dispositivos Gigabit Ethernet.

Há duas opções para utilizar o PoE. A primeira é utilizar um conjunto de injetor (injector) e divisor (splitter) posicionados entre o switch e o dispositivo que vai receber energia. O injector é ligado na tomada e “injeta” energia no cabo, enquanto o splitter separa a corrente elétrica do sinal de rede, oferecendo dois conectores ao dispositivo: um conector de rede e um de energia, ligado no lugar da fonte:
 
Figura 1. Injector e Splitter

Esta opção é a mais simples, pois não precisa mexer no resto da estrutura da rede, mas não se trata da mais barata, pois terá que comprar dois dispositivos para cada aparelho que precisar energia.

A segunda solução é usar um PoE Switch (um switch Ethernet capaz de enviar energia em todas as portas) que é a mais viável para usar em situações em que deseja ligar vários dispositivos. Porém deve se usar pontos de acesso e outros dispositivos compatíveis com o PoE, eliminando a necessidade dos injectors e splitter:

 Figura 2. Switch com Suporte PoE
Este switch é capaz de detectar se o dispositivo ligado na outra ponta do cabo suporta ou não o PoE, o que é feito medindo a resistência. Só depois de detectar a presença de um dispositivo compatível ele inicia a transmissão da corrente elétrica, permitindo que dispositivos “normais” possam ser conectados ao switch, sem risco de queimá-los.
Ainda é possível usar soluções híbridas, combinando um ponto de acesso, ou outro dispositivo, com suporte nativo ao PoE com um Switch comum, nesse caso, precisaria apenas do injector, já que o dispositivo recebe corrente diretamente através do cabo de rede.

Atualmente, o PoE é usado basicamente para alimentar pontos de acesso instalados em locais inacessíveis, mas uma nova versão do padrão pode sua área de atuação, o IEEE 802.3at ou PoE+, em desenvolvimento desde 2005, aumentará a capacidade de transmissão para até 60 watzz, o que permitirá que ele possa alimentar notebooks e até PC’s de baixo consumo, isto trará grandes benefícios, já que os equipamentos receberão a energia estabilizada e convertida para DC diretamente através do cabo de rede, sem necessidade de utilizar uma fonte de alimentação externa, com é atualmente.
Fonte :Oficina da NET

Nenhum comentário:

Postar um comentário