sexta-feira, 16 de abril de 2010

LIÇÕES APRENDIDAS COM ACIDENTES :RUPTURA ESCAVAÇÃO A CÉU ABERTO - CURITIBA

Foram apresentados os aspectos técnicos que contribuíram para a instabilidade  de uma escavação a céu aberto e ruptura da cortina de contenção na cidade de Curitiba/PR. 

A escavação, com profundidades variando entre 8m e 12m, visava à construção de três subsolos para servirem de área de esta-cionamento de um centro comercial. 

A auditoria do projeto original indicou a existên-cia de vários vícios de projeto, tais como: cruzamento de tirantes; subestimativa das forças de empuxo dos solos; e subdimensio-namento do paramento de contenção, dentre outros. 

O projeto de estabilização da cava de escavação necessitou de soluções não triviais de contenção, uma vez que a estrutura dos subsolos não foi dimensiona- da originalmente parasuportar as cargas de  empuxo do solo. 

De todo o ocorrido pode-se  tirar as seguintes lições:

1- Os princípios técnicos que regem o desempenho de uma solução de  engenharia devem sempre prevalecer sobre os critérios econômicos de implementação da solução;

 2-Quando da necessidade de contratação   de um serviço especializado, deve-se  procurar evitar contratar a execução de  serviços especializados com inclusão  do fornecimento da solução. 

Tal procedimento contribui para evitar vícios de uma solução “técnica”   voltada apenas à facilidade da execução  ou aos interesses do construtor, em  detrimento da qualidade necessária  ao projeto. 

A regra básica deveria ser   “quem projeta não executa, quem  executa não projeta”. 

Caso não seja   possível executar esta regra, dever-se-ia contratar uma auditoria independente de engenharia para avaliação da solução proposta. 

Uma auditoria de  engenharia visa prevenir erros e vícios  na concepção do projeto de engenharia. 

  A auditoria não é obrigatoriamente  restrita a grandes projetos de engenharia, mas concerne à complexidade e à singularidade de cada projeto de engenharia. 

Os resultados de um auditoria fornecem subsídios par aumento da segurança e minimização  do risco de falha de projetos de engenharia, possibilitando minimização de custos com retrabalhos,   reforços e indenizações.
 Fonte :IBRACON
http://www.ibracon.org.br/publicacoes/revistas_ibracon/rev_construcao/rev_construcao_57.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário