terça-feira, 17 de maio de 2011

MÉTODO NÃO DESTRUTIVO PARA EXECUÇÃO DE REDE DE INFRAESTRUTURA


O coletor-tronco Jurucê, cuja obra teve início em janeiro, está sendo construído em método não destrutivo (MND), que minimiza os impactos na superfície, restringindo-os aos poços de acesso para inserção e retirada de material. "Assim, há mínima interferência da obra nas vias", explica Marcelo Gonçalves de Jesus, engenheiro da Sabesp.

A escolha do método se deu, entre outros fatores, por causa do grande fluxo de veículos e pessoas na região da implantação - ao longo de seus 2,4 km, o coletor-tronco Jurucê terá início no cruzamento das ruas Anapurus e Jurucê, em Moema, cruzará a avenida Ibirapuera e desembocará em outro coletor, próximo à avenida Hélio Pellegrino.

A técnica utilizada é a de pipe jacking (cravação de tubos). Dois poços de serviços, com profundidade de 7 m, são escavados a aproximadamente 100 m de distância. Pelo poço descem o mini-shield (máquina perfuratriz), tubos (com 2,5 m de extensão e 600 mm de diâmetro) e o cravador.

"O cravador é apoiado em uma parede de reação e empurra o tubo que está atrelado ao mini-shield. Essa pressão movimenta o mini-shield, que vai girando e escavando o microtúnel. Na medida em que a escavação é executada, os tubos que estão atrelados avançam junto com a máquina", explica Jesus.
Fonte : INFRA ESTRUTURA URBANA-PINI WEB

Nenhum comentário:

Postar um comentário