quinta-feira, 20 de setembro de 2012

MOVIMENTAÇÃO DE MURO DE CONTENÇÃO GABIÃO EM ENCOSTA



 
As fotos acima mostram deslocamento do muro de contenção localizado em encosta por,possivelmente, não atender a NBR 11682:2009-ESTABILIDADE DE ENCOSTAS (SLOPE STABILITY).
 
Ítem 5.9-Dados hidrogeológicos
 
Devem ser levantadas informações sobre a pluviometria local e o regime hidráulico de cursos de água(vazão e velocidade)existentes na encosta em estudo.Surgências permanentes de água,ou sujeitas a variações sazonais,também devem ser investigadas e registradas no decorrer do levantamento topográfico,visando a identificação de caminhos de drenagem subterrânea.
 
Ítem 7.3-Projeto executivo
 
Ítem 7.3.1-Considerações iniciais
 
d)Os projetos devem obrigatoriamente prever drenagem e proteção contra erosão em todos os taludes de corte e de aterro.
 
Ítem 7.3.3-Projetos envolvendo obras de contenção em solo
 
 
Ítem 7.3.3.1 -Muros de Gravidade
 
São aqueles que formam uma estrutura monolítica ,cuja estabilidade é garantida através do peso próprio da estrutura.Podem ser de concreto simples,concreto ciclópico,gabiões,alvenaria de pedra argamassada ou de pedra seca,tijolos ou elementos especiais.O dimensionamento deve atender à verificação da estabilidade quanto ao tombamento,deslizamento e capacidade de carga da fundação.A linha de ação da resultante dos esforços envolvidos deve interceptar o terço central da base.Casos contrários devem ser justificados.
 
Ítem 7.3.7-Fatores de segurança
 
7.3.7.2-Metodologia
 
Nos casos de estabilidade de muros de gravidade e de muros de flexão,devem ser atendidos os fatores da Tabela 4.
 
 
Ítem 11-Monitoramento
 
O monitoramento do desempenho de uma obra ou de uma encosta deve ser realizado,sempre que julgado necessário pelo engenheiro civil geotécnico,como um dado relevante para a garantia da estabilidade.
 
O engenheiro civil geotécnico responsável deve detalhar no projeto executivo o tipo de instrumento a ser instalado,definindo locação,profundidade,metodologia de instalação e periodicidade de acompanhamento.
 
Em determinadas situações,o monitoramento pode ser utilizado em uma fase pré-construção ou durante a própria construção,visando a obtenção de dados para a elaboração ou ajuste eventual do projeto.
 
Entre os tipos de controle/monitoramente normalmente utilizados,merecem destaques os seguintes :
 
-controle de deslocamento em profundidade por intermédio de inclinômetros;
 
-controle de movimentos superficiais horizontais e verticais através de marcos superficiais,com controle topográfico de precisão a partir de bases localizadas fora da área de deslocamentos;
 
-controle de váriação do nível do lençol freático através da instalação de medidores de nível de água;
 
-medição da poro-pressão mediante instalação de piezômetros;
 
-controle de deslocamentos em estruturas de contenção através da instalação de alongâmetros e pinos de nivelamento;
 
Ítem 7.3.7.3-Situações especiais
 
Considerando que os menores valores de FS correspondem a maiores deformações do material de encosta,o monitoramento com instrumentação geotécnica durante e após a obra,a ser especificado pelo engenheiro civil geotécnico responsável, é obrigatório nas seguintes situações :
 
c)casos de obras de estabilização de taludes com mais de 30 m de altura ,em área urbana.
 
 
REF:NBR 11682:2009-ESTABILIDADE DE ENCOSTAS.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário