domingo, 7 de outubro de 2012

INVESTIGAÇÃO DE ARGAMASSA ENDURECIDA:RECONSTITUIÇÃO DOS TRAÇOS DE ARGAMASSA/ATUALIZAÇÃO MÉTODO IPT


Pesquisador Valdecir Guarcioni é responsável pelo LMCC-IPT

A investigação de uma argamassa endurecida pode atender diversas finalidades e envolver aspectos como a durabilidade e o controle de qualidade dos materiais empregados ou, como é mais comum, avaliar fenômenos patológicos, permitindo uma compreensão mais aprofundada das causas que teriam levado à degradação de um dado revestimento. A resposta que se espera de um estudo determina condições de trabalho e investimento em recursos a serem aplicados, possibilitando o uso de técnicas de análise mais sofisticadas ou o desenvolvimento de novas técnicas.

No campo da durabilidade, via de regra, a investigação tem como objetivo relacionar a microestrutura com as propriedades das argamassas. Técnicas como a porosimetria por intrusão de mercúrio e a microscopia eletrônica de varredura já são amplamente utilizadas em estudos desta natureza (CARASEK, 1996).

A análise química não é uma ferramenta adequada para investigação da microestrutura, mas, pode-se dizer, é indicada para se conhecer a composição do material como um todo, ao realizar a análise completa, quando é determinada a proporção dos constituintes da amostra. Na análise química de argamassas empregam-se métodos analíticos freqüentemente classificados como  macros, os quais envolvem determinação de quantidades de 0,1 grama ou mais de amostra (BASSETT et al., 1981).

Os métodos empregados em química analítica estão embasados em conceitos teóricos de que se constituem esta ciência, comprovados experimentalmente. Os métodos clássicos, mais antigos, continuam atuais, dada a confiabilidade dos resultados. São exemplos métodos gravimétricos e titulométricos.

As técnicas ou métodos instrumentais desenvolvidos nestas últimas décadas, como a espectrofotometria de absorção atômica, empregada neste estudo, dependem do uso de 4 equipamentos específicos. São técnicas que poderão substituir técnicas clássicas em diversas aplicações, por serem de execução mais rápida, ou por serem aplicáveis em determinações de teores muito menores do que se atinge com os métodos clássicos. Por isso mesmo encontram ampla utilização na indústria. Porém, envolvem investimento muito maior, nem sempre justificável. Dada a praticidade do seu uso, é interessante dispor desse método como uma alternativa.

Considerando a importância de ambos os métodos, foi decidido utilizar espectrofotometria de absorção atômica, como uma técnica alternativa às técnicas preconizadas pelo Método IPT na determinação de alguns elementos químicos, pela rapidez de execução e por fazer parte, este equipamento, do instrumental do Laboratório de Química de Materiais, do Agrupamento de Materiais de Construção Civil do IPT.

REF:RECONSTITUIÇÃO DE TRAÇO DE ARGAMASSAS:
ATUALIZAÇÃO DO MÉTODO IPT-MARIA ALBA CINCOTTO E VALDECIR GUARCIONI

Nenhum comentário:

Postar um comentário