domingo, 4 de novembro de 2012

ARMADURA DE TRAÇÃO SOB DEFORMAÇÕES IMPOSTAS(ÍTEM 17.3.5.2.2 DA NBR 6118)



A armadura mínima para a tração axial devida à retração nas paredes e lajes de reservatórios é sempre bem maior do que a exigida pelos esforços atuantes.
eloqüência em defesa desses valores elevados de armaduras mínimas fica representada pelos numerosos exemplos da prática, de perda de estanqueidade das paredes e lajes de fundo, atribuída à armadura insuficiente de retração .
Só como ilustração, registro a fissuração vertical das paredes de um reservatório (na Refinaria Landulfo Alves, Madre de Deus, BA, 1991) com 4 m de altura, 56 m de comprimento e 20 cm de espessura. Essas  paredes estão armadas, longitudinalmente, com f10 C /10, em cada face, o que corresponde a uma taxa de armadura de 0,8%, muito maior do que exigem os esforços horizontais dessa  parede.

A taxa mínima, segundo nossa Norma, seria igual a 0,92%.

Confira,na foto abaixo,as manchas pretas verticais nas paredes desse reservatório,indicativas de vazamentos pelas fissuras atribuídas à efeito da retração do concreto e apontando para insuficiência das armaduras longitudinais.

Fonte:Eng.Antônio C.R.Laranjeiras-Comunidade TQS

Nenhum comentário:

Postar um comentário