domingo, 6 de janeiro de 2013

MEDIDAS DAS PROFUNDIDADES DE CARBONATAÇÃO



Várias são as possibilidades de ensaios para determinar a profundidade de carbonatação; difração de raios-X, análise térmica diferencial, espectroscopia por infravermelho, termogravimetria, microscopia eletrônica de varredura e indicadoresácido/base.

Para a determinação da profundidade de carbonatação por meio de indicadores de Ph podem ser utilizadas as soluções de fenolftaleina, timolftaleina e amarelo de alizarina. Na tabela 2.5 são apresentados os indicadores de pH e o intervalo de mudança de cor.

Comparando os intervalos de mudança de cor (faixa de pH) da fenolftaleina, da timolftaleina e do amarelo de alizarina observa-se que a fenolftaleina é o indicador capaz de determinar valores de pH mais baixos. De um modo geral, a fenolftaleina é o indicador de pHmais empregado no meio científico devido à facilidade de uso, rapidez na realização do ensaio, custo baixo e precisão relativamente boa.

A RILEM (1984) recomenda a utilização de uma solução com 1% de fenolftaleina, em 70% de álcool etílico e 29% de água destilada. Essa solução deve ser borrifada, na forma de névoa, na superfície dos corpos-de-prova ou estruturas inspecionadas. Na região não carbonatada observa-se uma coloração vermelho carmim, enquanto a região carbonatada permanece incolor. Recomenda-se a realização de várias medidas em diferentes localizações para obtenção de um valor médio, uma vez que a frente de carbonatação não é uniforme.

A solução indicadora de pH deve ser aspergida na região recém fraturada do concreto,para evitar que o hidróxido de cálcio reaja com o CO2 presente na atmosfera. A leitura da profundidade de carbonatação deve ser realizada com equipamento de precisão (leitura de 0,1 mm) e não deve ser realizada em superfície serrada, molhada e com presença de pó.

Segundo Chang e Chen (2006) quando o pH da solução aquosa presente nos poros for menor que 7,5 o grau de carbonatação do corpo-de-prova é 100%, para pH entre 7,5 e 9,0 o grau de carbonatação está entre 50 e 100%, quando pH está entre 9,0 e 11,5 o grau de carbonatação varia de 0 a 50% e para pH superior a 11,5 o corpo-de-prova não está carbonatado. O grau de carbonatação em função do valor de pH e um equacionamento que os correlacionam podem ser observados na figura 2.9.

Segundo Richardson (1988) para concreto não carbonatado e carbonatado o valor de pH é de aproximadamente 12,6 e 8,3 respectivamente.

Segundo Chang e Chen (2006), a camada passivante protetora da armadura (γ-Fe2O3) é uma estrutura densa e estável para pH > 11,5. Com a redução no valor do pH da água dos poros do concreto tem-se a despassivação da armadura, portanto a fenolftaleina é considerado um bom indicador para verificar se a armadura está despassivada e se pode iniciar a corrosão.

Fonte:"Ação da carbonatação em vigas de concreto armado em serviço,construídas em escala natural e reduzida"-Valdirene Maria Silva.

Abaixo link para acesso Tese apresentada à Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.

Download em PDF


Nenhum comentário:

Postar um comentário