domingo, 10 de março de 2013

CONTROLE TÉRMICO DO CONCRETO DE BLOCOS DE FUNDAÇÃO

Controle térmico do concreto de blocos de fundação sobre estacas através de sensores térmicos

O monitoramento da temperatura iniciou-se pelo bloco do pilar 19, o qual tinha um volume total teórico de 551 m3 de concreto, nesta fase utilizou-se os traços  de concreto 53-53V, 53-54V, resistência 250 Kg./cm3.



Primeiramente foram concretados 90 cm de espessura de concreto ao longo do bloco e identificado como fase I, para  um total de 169 m3 de concreto, posteriormente, foram colocados dois sensores de temperatura tipo Carlson  embutidos na estrutura, os quais foram distribuídos, um no centro gravimétrico da estrutura e outro separado a 1.00 m da lateral, ambos na metade da altura a concretar.

À medida que se avançava a concretagem, foram registradas leituras através de um termômetro digital conectado aos cabos dos sensores, para verificar  que estivessem em perfeito estado de funcionamento.

Ao iniciar o contacto do concreto com o sensor, as leituras foram tomadas a cada hora, até um dia depois de haver alcançado a temperatura máxima, em seguida, os registros se realizaram a cada 2 horas, durante o segundo dia, a cada 4 hr até uma semana e a cada 6 hs até duas semanas depois.

A temperatura deste concreto fresco variou entre 32-34 ºC, tempo total para a concretagem foi 24 horas, com um volume total de concreto lançado da ordem de 586 m3.


Fonte :Tecnologia do concreto,Estudos Térmicos para concretagem blocos de grandes dimensões da segunda ponte mista sobre rio Orinoco-ODEBRECH
 
 http://www.abece.com.br/web/download/pdf/simposio/3%20ESTUDO%20TERMICO%20-%20MT%2029-10-07.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário