quarta-feira, 17 de abril de 2013

CONSEQUÊNCIAS DA HUMIDIFICAÇÃO DOS SUPORTES NA ADESÃO DOS AZULEJOS


Figura 13- Instabilização de azulejos com formação de “barrigas” (13a- azulejos cerâmicos na Rua das Salgadeiras ao Bairro Alto; 13b- azulejos de pó de pedra na Rua da Alegria)


Os paramentos azulejares protegem e mantêm secas as fachadas que revestem.


No entanto os azulejos, cujas faces vidradas impermeabilizam em larga medida as paredes, não se destinam a utilização sobre suportes húmidos precisamente porque impedem a secagem das paredes sobre as quais estão colados. 

A água que se apresenta pelo lado do tardoz passa das paredes às chacotas dos azulejos que podem depois manter-se húmidas durante longos períodos ou sofrer ciclos consecutivos de molhagem (em alguns casos até à saturação) seguida de secagem. Além da degradação potencial das argamassas de colagem, as molhagens provocam sempre a expansão dos corpos cerâmicos dos azulejos,conduzindo frequentemente ao seu destacamento (figuras 11, 12) em particular quando a deformação é limitada pelo contacto com os azulejos adjacentes.
 

A expansão máxima adquirida em cada ciclo de molhagem não é totalmente revertida na secagem e, assim, com o decorrer do tempo os azulejos vão sofrendo expansões sucessivamente maiores [7]. 

Os azulejos já destacados do suporte exercem compressões sobre os azulejos adjacentes, até que estes também se destacam. Formam-se, assim, conjuntos em compressão que acabam por instabilizar formando por vezes “barrigas” de dois ou mais azulejos (figura 13) que antecedem a queda.
 

O destacamento dos azulejos inteiros não representa uma degradação física dos próprios azulejos, mas antes uma patologia dos revestimentos, no entanto a sua importância como forma primordial de degradação dos paramentos azulejados impõe que seja referida. Além disso, o entendimento da molhagem dos suportes com particular incidência em determinadas zonas da fachada é também essencial para o estudo da degradação dos próprios azulejos, como se verá no próximo capítulo.

Fonte :SOBRE A DEGRADAÇÃO FÍSICA DOS AZULEJOS
DE FACHADA EM LISBOA-LNEC
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário